sexta-feira, 5 de junho de 2009

Vôo livre

No alto, bem no alto, onde o ar é rarefeito e as nuvens estão lá embaixo, um ponto negro se move em meio a imensidão azul. As asas fortes de Coração de Trovão sustentam seu vôo e tremem em meio a rajadas do vento. O sol fraco de inverno aquece suas penas negras e fere seus olhos de águia. Seu grito ecoa pelos ares, exaltando sua condição de extrema liberdade.

3 comentários:

Isadora disse...

liberdade, utópica liberdade....

Nina Ferreira disse...

É verdade, Isa, mas mesmo assim. Eu o invejo.

Mateus Henrique Zanelatti disse...

Eu também.